Pesquisar este blog

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Ressurreição

Eliane F.C.Lima

A primeira vez em que nasci,
foi à força que eu saí,
frágil, fúcsia, furiosa.

A vida foi me empurrando,
sempre, sempre a seu comando,
calma, crente ou curiosa.

Enquanto a vida ia,
a todo momento eu nascia,
louca, lâmina, lamentosa.

Hoje nasço ainda de novo,
mas, aos tapas, quebro o ovo,
amena, amável ou amargosa.

2 comentários:

Sonhadora disse...

Eliane
Lindo poema...adorei
Um Beijo
Sonhadora

Henrique Rodrigues Soares disse...

Eliane, gostei muito dos teus textos,mas principalmente do 'Ressurreição' e 'Harmonia'.
Parabéns pelo seu blog autoral.
Sds.