Pesquisar este blog

sábado, 10 de julho de 2010

Profanação

Eliane F.C.Lima

No pântano, úmido e escuro,
nasce uma planta verde.
Não vê, em volta, o lodo,
fixa o claro do céu.

Encanto da lama cinza,
o verde viola a vasa.
A vida de novo vibra,
raio de sol brotado.

3 comentários:

Carmem Teresa disse...

Lótus da purificação..renovação..ressurgimento e libertação....Poesia que se ilumina a cada palavra até o encontro com o Sol...Integração Criador -criatura, eu-lírico - poesia, flor-sol..em suma, vida renascida em palavras. Parabéns.

Márcia Vilarinho disse...

Nada na vida se desperdiça ou se cria, tudo se transforma é o que se observa sempre. Como sempre muito bom o seu texto. Beijos

ju rigoni disse...

"o verde viola a vasa.
A vida de novo vibra,..."

Não pude deixar de notar a sonoridade desses versos, obtida pela escolha de palavras (que persistem no v), abrindo o necessário caminho. Um mantra!

Que lindo, Eliane. Bjs e inté!