Pesquisar este blog

domingo, 26 de setembro de 2010

Mágica estrada

Eliane F.C.Lima

Nasci e a vida já indo:
um roteiro pela frente,
enorme estrada de luz.
Hoje, as luzes se apagando,
aperto os olhos e ando,
agora, já devagar.
E percebo, inutilmente,
que o caminho é só voltar.

Há conto novo em Conto-gotas (link aqui) e nova postagem em Literatura em vida 2 (clique aqui).

3 comentários:

Assis Freitas disse...

se a estrada é mágica a volta também é iluminada,


abraço

ju rigoni disse...

Seu poema é lindo! Deixo-lhe uns versinhos:

Se a(s)cendo, me apago.
Se me apago, acendo
as luzes de dentro...
Afinal vejo com clareza
de que era feito meu centro...


Bjs, Eliane. E inté!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Lindo poema
mas óia só, já que as discordâncias alheias nos aproximaram, deixa eu discordar.

A gente nasce e a vida já indo..é verdade.
Quando percebemos, tbm fomos nessa marcha.
Então, voltar pra casa, pra nossa alma, voltar, é um grande feito, e uma necessidade.

Gostei mui8to!